Fevereiro 26, 2018

Folclore

A freguesia da Camacha é reconhecida internacionalmente pelo seu folclore que tem levado o nome da Madeira aos mais variados locais do mundo. Especial destaque para Maria Ascensão, a popular “Loira da Camacha” que interpretou muitos números que são cantados e bailados quer pelo Grupo Folclórico da Casa do Povo da Camacha, quer por muitos outros, dando-lhe assim referência especial do nosso Folclore. Existem na Camacha diversas coletividades recreativas de carácter sociocultural que têm contribuído para o bom desenvolvimento da freguesia e consequentemente, para a divulgação da mesma, através das suas atuações na Região, no restante território nacional e no estrangeiro.

  • MARIA ASCENSÃO

Maria Ascensão nasceu na Camacha a 13 de Maio de 1926. Aos sete anos foi escolhida para cantar na Igreja, na noite de Natal, tendo sido escolhida para fazer o papel do Anjo que anunciava o nascimento de Jesus, durante três anos. Viveu uma infância alegre e feliz. Diziam que tinha boa garganta. Quando em 1948 o Sr. Dr. Alfredo Ferreira de Nóbrega fundou o Grupo Folclórico da Casa do Povo da Camacha, convidou a integrá-lo a Maria Ascensão, que dava nas vistas nas romagens do Sitio dos Casais de Além, onde cantava e bailava. Desde que entrou no Grupo, Maria Ascensão nunca mais o deixou, até à sua morte. Em 1949 entrou no Grupo o seu então noivo e depois marido, Abel Policarpo de Freitas, formando um casal que foi durante anos o grande dinamizador do Grupo Folclórico. A internacionalmente conhecida como “Loira da Camacha” foi homenageada pela Direção Regional de Turismo em 1985, pelo Governo Regional, em 1991 e ainda pela Casa do Povo da Camacha, pelo Rotary Clube de Machico e por muitos grupos de emigrantes que nas localidades onde se encontram, têm como referência a arte de dançar e cantar o nosso folclore de Maria Ascensão. Correu mundo, quer com o Grupo Folclórico, quer com o seu marido e com o vocalista do Grupo, o Adolfo Freitas. Este trio de folcloristas foi convidado a visitar várias comunidades Madeirenses para ensinar um pouco da nossa arte tradicional. Quando o coração começou a ter algumas falhas, a Maria Ascensão não se deixou abater. Lá estava ela sempre presente, ou cantando ao despique com o Adolfo, o que tão bem sabia fazer, ou dançando os números que não fossem muito exigentes no aspeto físico, ou ainda fazendo a apresentação dos bailes e cantares a executar. Tendo participado nos muitos discos que foram gravados pelo Grupo Folclórico, fez a gravação de um a solo, com a nossa música tradicional, que tão bem e tão sentidamente sabia interpretar. Participou com o seu marido na recolha de muitos números que são cantados e bailados quer pelo Grupo Folclórico da Casa do Povo da Camacha, quer por muitos outros, dando-lhe assim referência especial do nosso Folclore. Faleceu a 18/03/2001.

Coletividades

  • Grupo Folclórico da Casa do Povo da Camacha
  • Grupo Coral da Casa do Povo da Camacha
  • Grupo de Teatro Experimental da Casa do Povo da Camacha
  • Tuna de Bandolins da Casa do Povo da Camacha
  • Grupos Folclóricos Juvenil e Infantil da Camacha
  • Grupo das Romarias Antigas da Casa do Povo da Camacha
  • Banda Paroquial de São Lourenço da Camacha
  • Grupo Folclórico da Boa Esperança
  • Associação Grupo das Romarias e Tradições da Camacha
  • Grupo das Romarias Antigas do Rochão
  • Grupo de Cantares “Encontros da Eira”
  • Grupo Musical da Nogueira